lise (solo)

performance: Daniel Nunes

 

sons eletroacústicos com ritmos eletrônicos, melodias sintetizadas e ruídos orgânicos atravessados por improvisações sutis.

 

utilizando-se da técnica de loop music, os instrumentos tocados um a um, reúnem-se simultaneamente, ecoando as variadas melodias e ritmos sensíveis a escuta. a elaboração de imagens sonoras criadas a partir dos pequenos loops constroem ao pouco, texturas e camadas que conduzem o público a viajar pelas mais diversas paisagens.

lise + Lugares do Invisível

performance sonoro-visual: Daniel Nunes (lise) + Lucas Morais (Lugares do Invisível)

 

encontro entre Daniel Nunes e Lucas Morais que propõe o diálogo entre músicas eletrônicas e a codificação computacional de imagens digitais geradas através de algoritmos e fórmulas matemáticas.

 

Daniel Nunes apresenta temas instrumentais que reúnem vozes, sintetizadores, Casiotone, batidas eletrônicas e acústicas, compondo texturas e melodias a partir da técnica de loop music.

 

Lucas Morais inventa imagens digitais programadas em software livre “processing”, concebendo texturas, formas e gráficos que são gerados a partir da análise em tempo real de parâmetros dos sons - frequência, intensidade e timbre - criados durante a performance de Daniel Nunes.

Cineconcerto - Limite (filme de Mário Peixoto - 1930)

performance e instalação sonora: Daniel Nunes

 

inspirado pela atmosfera das primeiras exibições públicas de películas na história do cinema, em que as projeções de filmes mudos eram acompanhadas por trilha sonora executada ao vivo, Daniel Nunes (lise) propõe a ambientação sonora criada para o longa metragem Limite de Mário Peixoto.

 

considerado pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) um dos melhores filmes já realizados na história do cinema brasileiro, Limite vasculha um universo poético nutrido de simbologias que fazem os espectadores navegar por um mundo além...

Cineconcerto Limite estreou na 3ª Mostra Sesc de Cinema em Paraty - 2019.

Cinegrafia - A Pantera Cor-de-Rosa

performance: lise + Barulhista


com o objetivo de resgatar a atmosfera dos primórdios do cinema, em que as projeções de filmes mudos eram acompanhadas por trilha sonora executada ao vivo, Daniel Nunes (lise) e Barulhista criaram “Cinegrafia”. o projeto consiste na projeção de clássicos mudos do cinema com a interpretação ao vivo de trilhas sonoras compostas pelos artistas.

utilizando-se de sintetizadores, guitarra, escaleta, samples, marimba de garrafas de vinho, metalofone, Kalimba e bateria acústica, lise + Barulhista sonorizam os primeiros episódios da primeira temporada da série animada a partir de diferentes perspectivas sobre o clássico tema musical “The Pink Panther Theme”.

Cinegrafia - O Gabinete do Dr. Caligari (filme de Robert Wiene - 1920)

performance: lise + Barulhista

com o objetivo de resgatar a atmosfera dos primórdios do cinema, em que as projeções de filmes mudos eram acompanhadas por trilha sonora executada ao vivo, Daniel Nunes (lise) e Barulhista criaram “Cinegrafia”. o projeto consiste na projeção de clássicos mudos do cinema com a interpretação ao vivo de trilhas sonoras compostas pelos artistas.

 

utilizando-se de vibrafone, bateria acústica, sintetizadores, samples, máquina de escrever,

e paisagens sonoras (re)criadas em computador, lise + Barulhista apresentam uma ambientação sonora que investiga a complexidade de efeitos, sombras, cenários e ângulos utilizados por Robert Wiene.
 

Cinegrafia - Regen (filme de Joris Ivens - 1929)

performance: lise + Barulhista + artista visual convidado

com o objetivo de resgatar a atmosfera dos primórdios do cinema, em que as projeções de filmes mudos eram acompanhadas por trilha sonora executada ao vivo, Daniel Nunes (lise) e Barulhista criaram “Cinegrafia”. o projeto consiste na projeção de clássicos mudos do cinema com a interpretação ao vivo de trilhas sonoras compostas pelos artistas.

 

a performance conta com a participação de artista visual para re-criarem juntos, uma nova percepção sobre o documentário de Ivens. os resultados sonoros são marcados por momentos de diálogos sonoro-imagéticos, permitindo assim que o encontro possa desenvolver uma experiência artística e sinestésica. o resultado imagético (re)constrói o documentário a partir de fragmentos, elaborando a partir de pingos, camadas, texturas e sensações, uma nova perspectiva sob o olhar de Ivens.

Redemunho

performance: Daniel Nunes + Leandro César

do encontro entre Daniel Nunes e Leandro César, a maquinação de um fazedor de ruídos eletrônicos intervém na artesania de um inventor de instrumentos no desejo de (re)criar uma miragem sonora, Redemunho. Minas Gerais enquanto um espaço saturado de dicotomias entre passado, presente e futuro(?), o confronto de cantos sagrados da terra com o barroco do ouro e a esperança de um horizonte perfurado pelos “sons de silício” faz este encontro (des)criar um território sonoro.